Marcos resolveu jogar tudo pro alto e viver, com sua esposa, a vida com mais adrenalina

MarcosJá imaginou sair por aí sem destino certo e sem data pra voltar? Ou melhor, já imaginou fazer isso acompanhado da sua esposa? Se você nunca pensou sobre esta possibilidade, pode ter certeza que muitos outros almejam fortemente viver assim.

Junto com o amor da sua vida, Cauana decidiu conhecer o mundo

Eu acompanho alguns grupos no Facebook, e me arrisco a dizer que metade dos seus membros diriam que este item já está na lista de afazeres. Foi através de um desses grupos que soube da história do Marcos, um jovem de 30 anos, professor de bioquímica e esposo de Cauana.

Ele mora em Florianópolis atualmente e resolveu, quase do nada, a desbravar o “mundão de meu Deus”. Na verdade, aventura e viagens já estão meio que no seu sangue e decidir por tornar isso mais frequente na sua vida não foi tão difícil.

Marcos, gentilmente, respondeu algumas perguntas que fiz. Vamos conferir!

***

Primeiro, quero te agradecer por ter tirado um pouco do seu tempo pra falar da viagem. Agora, gostaria de uma apresentação sua mais completa. De onde veio, o que faz, sonhos, influências, profissão e carreira, o que gosta e o que não gosta tanto assim.

Chamo-me Marcos Corradini, tenho 30 anos e sou professor de bioquímica.

Nascido em São Paulo Capital, me mudei para o litoral do estado aos 8 anos, quando meus pais se separaram. Desde então, vivi lá até meus 28, quando me cansei do caos e me mudei para Florianópolis.

Depois de colocar meu A.P. para alugar, peguei minha Intruder 125, meu skate e duas malas. Aquilo se tornou a minha casa, e a estrada o meu quintal.

Após chegar em Floripa (melhor cidade do Brasil para se viver, pode apostar!) comecei a dar aulas de biologia e geografia (sim, também sou formado em geografia e musica).

Quando virou o ano de 2016 abandonei as 2 escolas, onde trabalhei por 5/6 meses e fui para uma das melhores escolas de Floripa (a melhor do sul da ilha). Lá, eu trabalhava apenas quarta, quinta e sexta, das 10h às 13h.

E é aí que morava o problema! Cauana, minha mulher, trabalhava todos os dias, exceto nos domingos, e isso me deixava indignado, pois eu passava a maior parte do tempo sozinho.

Um dos fatores, posso dizer, que foram decisivos para tal escolha, foi o trabalho dela. Com certeza! Mas isso é outro assunto (rs).

O que gosto? Isso é bem fácil. Gosto de rir e fazer os outros felizes. Amo novas culturas e fazer amigos. Sabe aquela pessoa que se você deixar parada na rua faz amizade até com o poste? Esse sou eu! Falo mais que a boca e adoro jogar conversa fora… ah! Amo cozinhar. Modéstia à parte, mando muito bem na cozinha. Hehehehe

Posso ficar com fome, com sono, não tem problema, isso jamais vai tirar meu bom humor, mas se tem uma coisa que me vira do avesso, é falta de pontualidade. Sou muito ansioso, daí já viu né? Rs

Quanto a questão de influência… A maior da minha vida, com certeza é a mamãe! Há uns bons anos ela tinha uma agência de acampamentos e vivi toda a minha infância viajando e acampando. Devo muito a ela! Meus pais sempre me disseram “criamos vocês para o mundo, sejam livres.”

Pelo que li, você vai casar no final do mês. E junto com a sua futura esposa, desbravará o mundo. Por favor, conta como que surgiu esta ideia e qual foi a aceitação da sua esposa quanto a isso. E sua família e a família dela, o que acham sobre esta decisão.

Então….

Vamos pelo começo. Eu conheci a Cau pelo Tinder, quando fui passar uns dias em Floripa (férias escolares de julho 2015). No dia 24/07 rolou nosso “match”, e saímos a noite. Fui encontrá-la para irmos a algum lugar (que não tinha a menor ideia).

Quando chegamos em um bar… ah! Que sorriso era aquele? Me encantei logo de cara. Naquele momento, sabia que era ela que eu queria para minha vida toda. Porém, eu já iria embora no dia 25.

Voltar para Santos e não a ver novamente era um risco que havia de correr… enfim, fui e começamos a conversar diariamente até que tomei a decisão de me mudar definitivamente para Floripa.

Após quase um mês de espera (abandonar 3 escolas e 1 cursinho de uma hora para outra não é fácil!), voltei para Floripa e deu tudo certo. Começamos a morar juntos em pouco tempo depois do meu retorno.

Quando chegou meados de junho/julho eu surtei. Não aceitava mais a ideia de eu trabalhar pouco e ela muito. Chegavam os sábados à tarde e os domingos, e ela só queria descansar para sobreviver a mais uma semana de trabalho.

Isso me corroia por dentro e definitivamente decidi que “aquilo não era pra mim”. Falei pra ela: “vida, vamos embora daqui? Não aguento essa vida nossa, por mais que tenhamos tudo do bom e do melhor, estou sentindo um vazio aqui, vambora?”.

Ela simplesmente me olhou, sorriu e falou: “É isso que você quer? Então vamos.”. E pronto, na semana seguinte estávamos vendendo as nossas coisas todas!

Quando meus pais souberam que íamos casar (agora dia 29/10) ficaram bem felizes. Não queremos festa nem nada, apenas casar. Mas minha mãe quer fazer umas coisinhas aqui em casa para comemorar e etc…

Nossa família? Coitada da véinha aqui em casa. Não para de chorar e quer ficar me mimando 24h por dia. Ontem mesmo estava no carro com meu pai e ainda brinquei “véio, falta uma semana pra ir embora”. Ele só me olhou e bufou feito um rinoceronte velho. Não deu uma palavra se quer, mas sabia que ali era uma mistura de medo e angustia. Coisa de pai né?

Por que você está fazendo isso? Qual a sua principal motivação? Existe algum medo ou o desejo pra que comece logo não te permite pensar em nada mais?

Olha, sempre viajei. Acho que deve ser algo genético, pois a minha mãe tem 60 anos e quase todo final de semana pega sua moto para viajar com o motoclube dela! Sim, ela põe aquelas badanas de caveira, colete de couro e vai que vai!

Olha só, medo mesmo é eu chegar nos meus 50/60 anos e dizer aos meus filhos/netos que o trocar de carro foi o máximo e nossa TV de 50” é sensacional, mas que conheci as coisas somente pelo Google.

Acredite, eu vendi tudo que tinha, até mesmo meus talheres! Não tenho mais nada e hoje sou muito mais rico e livre do que quando tinha carro, motos e tudo do melhor.

Por que não rodar pelo Brasil ou América Latina? O que te fez optar pela Europa, como destino para se aventurar?

Brasil eu conheço uma boa parte. Já a América Latina, está num “acesso mais fácil”,  vamos dizer assim. Como tenho dupla nacionalidade PT/BR, e o fato da diversidade cultural ser “absurdamente enorme” lá…. por que não? Depois que fizermos Europa, vamos para Asia e África. Depois… bom aí é uma longa história!

Por quanto tempo vocês viverão assim? Já possuem a lista dos países que visitarão? E em relação a grana, houve aquele período de juntar dinheiro ou vocês vão trabalhar enquanto viajam também?

Não temos uma data precisa. Sei que começaremos dia 1/11, quando chegarmos em Milão. Já quando vamos terminar… é uma excelente questão. Pelo menos uns 2, 3 anos, com certeza estaremos pela estrada!

Usaremos bastante couchsurfing para tomar banhos e afins. Em relação a grana, vendemos tudo e pegamos recisão de contratos de trabalho.

Foi tudo meio de uma hora pra outra, portanto é o que temos! Hehehee

Sem contar que gastei uma baita grana com cidadania Tb =)

Você provavelmente já viajou para fora do país e penso que pelo Brail, também. Quais lugares você já visitou? Qual foi a maior experiência que você teve nessas suas andanças?

Por incrível que pareça, não! E é ai que é o mais legal, nunca viajei para fora!

Brasil eu conheço bons lugares, mas um em especial me marcou bastante. Lá pelos meus 19 anos eu tinha aquela Biz 100. Saímos de Santos-SP e fomos até o RJ. Foi um bate-volta regado à diversão pela , MUITOS perrengues pela estrada (até mesmo porque ela não subia a serra com dois montados nela) e o baú dela cheio de cerveja!

Para quem participa de alguns grupos no Facebook ligados a viagem, é muito comum ver relatos de jovens que desejam fazer o que você está prestes a fazer. O que você diria para estas pessoas?

Olha, são muitos que tem essa vontade. Porém, poucos de coragem. Se você não tiver coragem, não pense, apenas vá!

Vender as minhas coisas foi libertador, você não tem ideia do quanto!

Sair da zona de conforto é a melhor coisa que pode acontecer à uma pessoa. Evoluir é mais que preciso.

Deveria haver uma lei sobre viajar. Se eu fosse vereador iria criar uma lei que obrigaria a todos a fazer uma viagem para relaxar ou conhecer novas culturas. rs

Por que viajar? O que o nome VIAGEM quer dizer pra você?

E pq não viajar?

Viajar é um estado de espírito, uma cultura, um sinônimo de coisas boas. Veja só: “cara, isso é maior viagem”, “cara você tá viajando”, define algo muito doido, que você está no mundo da lua ou algo parecido.

Lei a entrevista da Cauana >>> Junto com o amor da sua vida, Cauana decidiu conhecer o mundo

Estes são os canais do casal que seguirá em viagem logo em breve.

  • Face: Marcos Corradini  | Cauana Almeida
  • Insta: @marcosgdr          |  @cauanaalmeida_
  • E criamos um site: www.pramochilar.com.br
  • Insta: pra mochilar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *